Casembrapa caminha para atingir metas estabelecidas pela ANS

A Casembrapa caminha para atingir as metas pactuadas no termo de compromisso (TAOEF) entre a operadora e a ANS, em agosto do ano passado. O último estudo atuarial, realizado em dezembro de 2014 pela contratada Rodarte, aponta uma evolução financeira de 40% em relação ao quadro apresentado pela operadora quando se instaurou o regime de recuperação.

“Um índice positivo, tendo em vista que a primeira meta que devemos alcançar é a recomposição de 50% de nossas garantias financeiras, até junho deste ano”, aponta a presidente da Casembrapa, Sonisley Santos Machado. A gestora da instituição indica que a aplicação das penalidades de suspensão e exclusão – e consequente redução da inadimplência – e o reajuste aplicado a partir de maio de 2014 têm contribuído para o processo de recuperação do plano.

“No entanto, ainda não podemos avaliar que a situação atual da operadora é estável”, defende o diretor Administrativo, Cássio Curi. De acordo com o representante da Casembrapa, a inflação médica no Brasil, que deve chegar a 18% este ano, tem deixado os gestores de operadoras de plano de saúde de todo o país mais atentos. “Devemos continuar monitorando nossos índices”, completa.

Até o início do próximo mês um novo estudo atuarial deve avaliar a atual situação econômica da Casembrapa, analisar os custos do ano passado com a previsão de gastos para o ano corrente, e apontar propostas para o custeio do plano em 2015.

 

Casembrapa assina acordo de recuperação financeira com a ANS

Extrato de Imposto de Renda

Estão disponíveis no site da Casembrapa, na área de acesso exclusivo, os Extratos de Imposto de Renda para preenchimento da declaração anual de Imposto de Renda Pessoa Física. O documento possui valores referentes a pagamentos de mensalidade e de coparticipação de despesas médicas efetuados durante o ano de 2014, ou seja, valores descontados nas folhas de pagamento de 12/2013 a 11/2014 e boletos pagos de 01/01/2014 a 31/12/2014.

Casembrapa reabre novo parcelamento em 2015

As novas regras terão o período de vigência de 01/04/15 a
30/06/15 e se aplicam a todos os associados que possuam
débitos vencidos há pelo menos 29 dias a contar de 01/04/2015

Retrospectiva 2014

Casembrapa faz balanço do ano de 2014

2014 foi um ano de forte impacto para a Casembrapa, que gerencia o Plano de Assistência Médica (PAM) com mais de 27 mil vidas. Frente às dificuldades financeiras que já se avizinhavam e a alta expectativa de seus associados, a Diretoria Executiva da Casembrapa intensificou ainda mais o tripé da transparência, da gestão eficaz e da confiança.

“Ter esses princípios como norte ajudou por demais a enfrentar as dificuldades”, assegura a presidente da empresa, Sonisley Machado.  “Investimos na busca de dados e informações reais sobre a situação financeira da Operadora, e vimos que sem o engajamento da patrocinadora Embrapa e dos associados, não teríamos como enfrentar a difícil situação financeira pela qual a empresa estava passando”.


Reajuste emergencial na mesa de negociações

Diante de um quadro crítico, no raiar de 2014, a Casembrapa deu início a uma série de conversas com a diretoria da Embrapa e com os representantes da Operadora nas Unidades, ouviu especialistas e propôs um reajuste que pudesse recuperar o caixa da empresa, evitando a sua falência. “O momento mais crítico”, lembra o diretor financeiro, Júlio Cézar Pereira, “Foram os meses de abril, maio e junho, com a indefinição do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) da Embrapa.”.

O reajuste emergencial proposto sobre as participações dos associados e da patrocinadora estava na mesa das negociações salariais. “Um fator decisivo foi, sem dúvida, a articulação e a transparência das informações que resultaram em um reajuste mais adequado para os empregados”, pondera Cássio Curi, diretor administrativo da Operadora. Na época, a negociação entre a Embrapa e o SINPAF, elevou a um valor maior do que o proposto inicialmente pela Casembrapa para a Patrocinadora e reduziu o percentual de contribuição mensal proposto para o empregado. Coube a Embrapa o valor de R$142,00 por pessoa e ao associado um aumento da contribuição para 3%.

 


 

 

Renegociações de dívidas abre oportunidade para o associado quitar débitos

Paralelamente à articulação do reajuste emergencial, a Diretoria Executiva da Casembrapa iniciou um amplo levantamento da inadimplência, mapeou os débitos e lançou o Programa de Regularização de Débitos. Essa estratégia visou garantir ao associado as condições adequadas para a renegociação das dívidas, fruto do não pagamento de mensalidades e de coparticipação entre 2009 e 2013. Nesse esforço o resultado foi a queda do número de inadimplentes em 70% (de 6.033 para 1.839), em sete meses, reduzindo o débito total de R$ 8.297.170,85 em maio de 2014 para R$ 4.111.291,76.

As penalidades previstas no regulamento, conforme anunciado, foram aplicadas resultando em 850 associados titulares excluídos do Plano de Saúde e 989 suspensos até que regularizem os débitos. A recuperação dos débitos do  grupo de devedores remanescentes está sendo negociada  pela empresa de Cobrança Emcob, com inscrição dos devedores no SERASA. Como último recurso, aqueles  que não fizerem  a negociação junto a empresa de cobrança, serão encaminhados  para cobrança judicial.

 

Programa de Recuperação de Débitos

  • Queda da inadimplência em 70%
  • Exclusão de 850 associados titulares
  • Suspensão de 989 associados titulares
  • Inscrição no Serasa
  • Adoção de cobrança ativa por meio de empresa de cobrança Emcob
  • Cobrança judicial para os que não saldarem os débitos

 

 

 


 

 

ANS monitora Casembrapa

A Casembrapa encerrou o segundo semestre do ano com boas perspectivas de equilíbrio nas suas contas  devido ao aumento emergencial e das ações de regularização dos débitos com a Operadora. Porém, a intensificação da crise financeira no primeiro semestre do ano provocou prejuízos além dos financeiros. Por conta do agravamento da situação financeira, que já vinha sendo sinalizada desde 2011, a Agência Nacional de Saúde (ANS) voltou a notificar a Casembrapa sob a ameaça de instauração de Direção Fiscal.

No segundo semestre, Casembrapa se viu obrigada a assinar um  termo de assunção de obrigações financeiras (TAOF) com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), se comprometendo adotar medidas de austeridade e a recuperar, em dois anos, o equilíbrio financeiro da empresa, o que inclui a reconstituição das reservas.

No final do semestre, a presidente e o diretor financeiro reuniram-se com a Diretoria Adjunta de Normas e Habilitação de Operadoras (DIOPE), apresentou documentação atualizada das informações contábeis e financeiras da Operadora, que resultou na aprovação da TAOF assinada, evitando assim a instalação da direção fiscal da ANS sobre a Operadora.

 


 

Casembrapa investe na comunicação direta com o associado

Uma estratégia de comunicação focada na transparência foi um dos tripés da gestão da diretoria da Casembrapa. Além de melhorar os veículos de comunicação, a operadora passou a divulgar informações financeiras mensais que nunca haviam chegado aos segurados. Foram divulgadas 41 boletins eletrônicos informativos, atingindo uma média de 51% de abertura por envio.

A partir de abril, os usuários começaram a receber todo mês por e-mail os  demonstrativos dos gastos e débitos de cada associado com a Operadora e os balancetes contábeis, em atendimento a solicitação dos seus associados.

As ações de comunicação também ampliaram a possibilidade de interação entre o usuário e a operadora com a implantação da Ouvidoria em janeiro e do novo portal Casembrapa em outubro, ambos atendendo as exigências da ANS.

 


 

Casembrapa investe em tecnologia e melhora interação dos beneficiários

Para facilitar a interação entre os beneficiários e o plano de assistência, a Casembrapa investiu em tecnologia, aproximando o plano de todas as pessoas que interagem com ele. A novidade mais marcante foi a evolução da presença online.

Foram realizadas 11 videoconferências: 2 com os associados em geral visando dar informações sobre a situação financeira do Plano de Saúde; 4 com os comitês consultivos, reativados, discutindo novo modelo de plano de saúde; e 5 com os representantes Casembrapa.

Com o lançamento de um novo portal, centralizamos as informações mais importantes para os beneficiários, em um canal de comunicação direta, que irá possibilitar uma maior interação com os associados e prestadores e aumentar ainda mais a transparência na gestão do plano de assistência.

Outra novidade do ano passado foi o lançamento do aplicativo Guia Médico Mobile, uma oferta gratuita da empresa do nosso sistema de saúde, que facilita a consulta à rede credenciada pelos beneficiários via smartphone. Ferramenta que está disponível Play Store e em breve será disponível na App Store.

Outra atividade que também evoluiu foi a implantação do recadastramento de forma eletrônica realizado por 6.500 associados titulares até 31 de dezembro de 2014, uma resposta rápida e aprovada pelos nossos beneficiários.

 


 

Casembrapa consolida planejamento estratégico e melhorias com nova marca

casembrapa-marca
Uma nova marca para um novo tempo. Este espírito foi sendo fortalecido na Operadora à medida que os desafios foram vencidos. A proposta foi a de revigorar a Casembrapa, sem perder a sua essência embrapiana. Em 2014, a diretoria aprofundou estudos sobre a percepção da marca Casembrapa e brindou os associados com uma marca nova, fruto do esforço coletivo da equipe Casembrapa que veste a camisa da Operadora.

A necessidade de uma nova marca foi apontada no planejamento estratégico, realizado em 2013 e implantado em 2014. O planejamento deu um norte para o desenvolvimento das atividades do ano, mas o plano de ação planejado para 2014 foi afetado pela crise da situação financeira da Casembrapa. Mesmo sob essas condições, das 49 iniciativas planejadas, 23 foram atingidas, 2 parcialmente atingidas e 7 foram canceladas por falta de recursos financeiros para serem implementadas.

“Toda a equipe amadureceu muito e se uniu mais com as dificuldades. Foi uma grande oportunidade aproveitada ao máximo por nós”, comenta Sonisley Machado, presidente da empresa.

 

Parcerias estratégicas

Uma das mais frutíferas ações da Casembrapa em 2014 foi a aproximação dos representantes Casembrapa com a Operadora. Ao longo do ano foram realizadas 5 reuniões de trabalho via videoconferências, sempre com o objetivo de antecipar informações e decisões gerenciais, fortalecer a rede e ouvir a opinião do grupo que  apoia a Casembrapa nas unidades descentralizadas.

Outra ação importante foi uma maior proximidade da Casembrapa com a Patrocinadora. A Casembrapa passou a ser incluída na agenda de reuniões periódicas com a Diretoria Executiva da Patrocinadora. A presidente esteve em três reuniões com toda a Diretoria Executiva o que veio a trazer uma maior aproximação da Patrocinadora, permitindo um acompanhamento mais próximo das atividades da Casembrapa.

 


 

FUTURO: Um novo modelo de gestão do PAM

Os desafios de 2014 levaram à Diretoria Executiva da Casembrapa a elaborar uma ampla consulta para um novo modelo de Plano de Assistência Médica (PAM). A intenção foi a de levantar o maior número possível de informações e opiniões para o desenho de uma nova proposta de Plano. O estudo foi realizado em várias fases durante o ano e culminou com um conjunto de contribuições de diversos atores: comitês consultivos, diretoria da Embrapa, sindicato da categoria, dirigentes de outras operadoras. As contribuições serão aproveitadas para a elaboração do novo modelo, cuja aprovação é de responsabilidade do Conselho de Administração da Casembrapa.

Rede CASSI no DF

A Casembrapa, em reunião no mês de janeiro,  oficializou o cancelamento do atendimento pela rede de reciprocidade CASSI no DF. As operadoras, de forma a resguardar as duas entidades e prezar pelo bom relacionamento, assinaram termo aditivo ao contrato, registrando a mudança no atendimento.

A CASSI já comunicou a todos os seus credenciados e efetuou o bloqueio em seu sistema para impossibilitar o atendimento da Casembrapa no DF. A partir de 1º de abril deste ano, caso o associado venha a utilizar a carteira da CASSI, por algum motivo aceita, a ação será considerada indevida e o usuário arcará integralmente com os custos do atendimento realizado.

O associado Casembrapa residente no DF continuará a receber a carteira da CASSI, e poderá utilizá-la quando precisar de atendimento fora do Distrito Federal, como por exemplo em viagem para outro estado.

Vale ressaltar que nos últimos meses a Casembrapa tem realizado esforços para credenciar profissionais de saúde ou clínicas que atendiam nossos associados pela reciprocidade CASSI, de forma que a mudança não acarrete qualquer prejuízo à saúde do beneficiário.

Atualizado em 27 de março às 16:33.

NOTA DE RETIFICAÇÃO
Conforme solicitação dos associados, que haviam lido a matéria, informamos que somente a partir do dia 1º de abril deste ano o uso da carteira CASSI no DF será considerado indevido, resultando na cobrança integral dos custos.

Leia mais sobre o assunto em:
Associado Casembrapa não poderá mais utilizar a Rede Cassi no DF

Resolução Normativa (RN) nº 355/2014