Prevenção contra doenças silenciosas

Quadros cardiovasculares causam 300 mil mortes e danos econômicos;Boa alimentação, esportes e auxílio médico ajudam a evitar problemas

Tamanho da fonte
+

A prevenção é a melhor saída para se evitar doenças cardiovasculares, a principal causa de mortes no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Os médicos afirmam que fatores como alimentação, prática de exercícios e peso podem ser determinantes para se evitar ou pelo menos adiar um problema do tipo.

Essas doenças são causadas principalmente pelo acúmulo de gordura nos vasos, obstruindo o fluxo sanguíneo e levando a problemas como infartos, anginas e aneurismas.

Qualquer órgão nosso é vascularizado, recebe sangue através das artérias, então as doenças circulatórias não estão restritas ao coração ou ao cérebro, afirma a gerente técnica da Casembrapa, a médica Rita Vilanova.

São 300 mil mortes por ano no Brasil, segundo o Ministério da Saúde – uma morte a cada dois minutos. A OMS estima que 17 milhões de pessoas sofrem só de problemas cardíacos em todo o mundo.

Pacientes também podem ficar com sequelas graves por doenças cardiovasculares. Isso, sem contar que elas trazem um grande ônus econômico tanto para o indivíduo quanto para a sociedade num todo, declara Rita.

Os dados mais recentes do governo federal, de 2017, apontam que as ocorrências mais comuns são o Acidente Vascular cerebral (AVC), com 100 mil casos no país. Em seguida vem infarto, com 85,9 mil casos. Doenças relacionadas à hipertensão somam 46,8 mil casos, e há 27,3 mil pacientes com insuficiência cardíaca.

Esses quadros atingem principalmente os pacientes que compõem o “grupo de risco”. Histórico familiar, diabetes, obesidade ou sobrepeso, hipertensão, tabagismo, consumo excessivo de bebida alcoólica e sedentarismo estão entre os fatores que favorecem o surgimento das doenças cardiovasculares.

Para evitar ou adiar o surgimento desses problemas, a dica da médica Rita Vilanova é cuidar da própria saúde desde cedo. “É preciso que as pessoas entendam que é necessário que elas se apropriem da saúde, individualmente. Estudos mostram que a maior capacidade de garantir saúde por mais tempo está dentro de cada um de nós, através da prevenção, da adoção de hábitos de vida saudáveis.” (veja entrevista aqui – Especial ‘Doenças Cardiovasculares’)

 

Diabetes

O diabetes é um dos fatores que mais contribuem para o surgimento de doenças cardiovasculares. Estudos mostram 2 de cada 3 pessoas com diabetes morrem por este tipo de enfermidade. Pessoas acima de 60 anos que tenham diabetes do tipo 2 (adquirido) têm de 3 a 4 vezes mais chances de morrer por doença cardiovascular.

O diabetes é considerado hoje uma síndrome porque não é só o açúcar no sangue. É toda uma gama de doenças que se associam a essa condição, afirma a médica Rita Vilanova.

Com o envelhecimento populacional, a mudança nos hábitos alimentares e a diminuição do costume de se fazer exercícios físicos, o número de pacientes com diabetes no Brasil aumentou 61,8% entre 2006 e 2016, segundo o Ministério da Saúde.

Os dados fazem parte da pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). De acordo com o levantamento, 5,5% da população tinham a doença em 2016. O número subiu para 8,9% (9,9% das mulheres e 7,8% dos homens).

 

Prevenindo

A primeira dica para se prevenir uma doença cardiovascular é fazer um acompanhamento médico periódico. Saber como estão pressão arterial, índice de gordura corporal e níveis de colesterol, açúcar e triglicérides, entre outros, ajuda a identificar possíveis doenças ainda em estágio inicial. Assim, o paciente pode se submeter a um tratamento mais eficaz e menos invasivo.

O grande segredo está na promoção da saúde, na prevenção, através da adoção de hábitos de vida mais saudáveis, afirma a gerente técnica da Casembrapa, a médica Rita Vilanova.

Para o dia a dia, a recomendação é controlar a pressão arterial e evitar obesidade, estresse, sedentarismo e o consumo de cigarro, bebidas alcoólicas e refrigerantes.

Prefira produtos mais naturais, como verduras, legumes, cereais e frutas. Também é importante evitar gorduras saturadas ou de origem animal, sal, açúcar e alimentos ultraprocessados e com conservantes. Consuma muita água.

Cuidar da doença é muito mais caro, muito mais oneroso do ponto de vista socioeconômico. E é muito mais difícil, muito mais doloroso para o paciente tratar a doença do que prevenir através da promoção da saúde, diz Rita.

A prática regular de atividade física é outro fator que ajuda a prevenir contra doenças cardiovasculares. A recomendação é de que o exercício seja feito com orientação médica, para evitar cargas inadequadas e possíveis problemas de saúde.

Para que o efeito seja mais benéfico é necessário que a pessoa realize a atividade de intensidade acima de moderada, por pelo menos 30 minutos, de 3 a 5 vezes por semana. Também é preciso que haja um intervalo semanal de 24 horas, para que o corpo tenha um período satisfatório de descanso.

Mais lidas

Ninguém fica pra trás

No Dia Internacional da Síndrome de Down, especialistas lembram que a pessoa com a condição pode ter uma vida normal e saudável

Carta da presidente Sonisley Santos Machado

Após seis anos à frente da Casembrapa, a presidente se despede falando sobre seu mandato, os desafios, avanços conquistas e o legado. Sonisley também agradece aos associados, parceiros e toda sua equipe.

Doença silenciosa

Hipertensão afeta 36 milhões no país (quase um terço da população adulta) e está presente em 77% dos casos de AVC; veja como prevenir e combater esse mal