FAQ

Serviço de FAQ

Pensando em dar respostas mais rápidas para as perguntas mais comuns dos beneficiários do plano, a Casembrapa criou o serviço de FAQ (Frequently Asked Questions). São várias questões, selecionadas pela nossa equipe. Para utilizar o serviço de FAQ, basta digitar no campo de busca do “Portal Casembrapa” uma palavra relacionada à sua dúvida e selecionar uma das questões que aparecer. Caso a sua dúvida não seja contemplada pelo nosso FAQ, contate-nos pelo e-mail atendimento@casembrapa.org.br ou ligue (61) 3181 0010. Teremos satisfação em respondê-lo. Busque no FAQ  
  • Preciso falar com os atendentes da Casembrapa. Para onde devo ligar? O telefone de nossa Central de Atendimentos é o (61) 3181 0010
  • Até que idade meus dependentes continuam assistidos pelo plano Casembrapa? Jovens de até 21 anos podem utilizar do plano de saúde como dependentes. Caso estejam regulamente matriculados em curso reconhecido pelo MEC, sejam solteiros e não possuam renda própria, a idade limite sobe para os 24 anos.
  • Por que meus pais não podem ser meus dependentes no plano de saúde? O Regulamento da Casembrapa não prevê a possibilidade de dependentes ascendentes, tais como pais, avós, etc. De todo modo, os custos nas faixas etárias acima dos 53 anos de idade, de acordo com estudo atuarial, passam por aumentos expressivos na medida da crescente idade, o que implicaria na necessidade de aumentos substanciais de contribuição para que o PAM continuasse em equilíbrio financeiro.
  • Vou me aposentar. Como devo proceder para continuar no plano? Aos aposentados, que tenham contribuído por mais de dez anos, é assegurado o direto de permanecer no plano por prazo indeterminado e para os que tenham contribuído por tempo inferior, o de permanecer com o vínculo à razão de um ano para cada ano de contribuição. Caso opte por permanecer no plano de saúde, é necessário que manifeste o interesse até 30 dias após a data da aposentadoria. Basta preencher o formulário disponível em: Formulário - Termo de Opção Aposentado O aposentado optante deverá se responsabilizar pelo pagamento integral do plano de saúde, que significa a soma da parcela paga pelo empregador, que atualmente custa R$168,85, mais a parcela paga pelo empregado.
  • Como permanecer no plano de saúde após demissão? Na rescisão do contrato de trabalho, o demitido sem justa causa poderá permanecer no plano por um período mínimo de seis meses e máximo de 24 meses, desde que tenha contribuído para o custeio do seu plano de saúde e que não seja admitido em novo emprego. Para tanto, é necessário que até 30 dias depois de ser comunicado da exoneração ou do aviso prévio o profissional procure a Casembrapa e informe o desejo de prosseguir no plano de saúde. Basta preencher o formulário disponível em: Formulário - Termo Demitido sem justa causa E enviar para propostas@casembrapa.org.br. O demitido deverá se responsabilizar pelo pagamento integral do plano de saúde, que significa a soma da parcela paga pelo empregador, que atualmente custa R$168,85, mais a parcela paga pelo empregado.
  • Minha carteirinha foi extraviada. Como faço para solicitar a 2ª via? É necessário enviar o pedido para o email: propostas@casembrapa.org.br. A 2ª via da carteirinha custa R$ 6 reais. O valor é descontado em folha ou pode ser pago via boleto bancário, de acordo com a sua opção. Caso o usuário apresente um boletim de ocorrência (b.o) referente ao extravio do documento, a 2ª via da carteirinha passa a ser gratuita.
  • Como faço para acessar o extrato dos serviços e procedimentos que utilizei? Para acessar o demonstrativo das despesas médicas, acesse: casembrapa.com.br. Na área superior do site, clique em “Associados”. É necessário digitar senha e usuário. Depois é só acessar: “Extratos” e, em seguida, “Credenciamento x Reembolso”. 
  • Por que em alguns casos minhas dívidas têm de ser quitadas com boleto bancário? Mensalmente, a Casembrapa comunica o valor a ser descontado na folha de pagamento dos associados ativos (Siape) e aposentados (Ceres). No entanto, algumas vezes esse valor é superior ao que pode ser descontado (margem consignável) na folha de pagamento. Nesses casos, o Siape, responsável pelo processamento da folha de pagamento do funcionalismo público federal, recusa o desconto do valor apresentado pela Casembrapa, restando ao plano de saúde cobrar o valor em boleto bancário. Já a Fundação de Seguridade Social CERES desconta o valor possível, referente à margem consignável, e o restante é cobrado pela Casembrapa em boleto bancário. 
  • O que é margem consignável? A margem consignável é o valor máximo que pode ser descontado no contracheque para quitar dívidas, como o plano de saúde e parcelas de um empréstimo, por exemplo. Por lei, o valor extraído do salário ou aposentadoria não pode exceder 35% do ordenado mensal, ou seja, se você ganha R$2 mil reais por mês, o máximo que poderá ser descontado é de R$700,00. 
  • Identifiquei um erro na Cobrança. O que devo fazer? Basta entrar em contato com os atendentes da Casembrapa pelo telefone: (61) 3181 0010 ou e-mail: atendimento@casembrapa.org.br 
  • Usei o plano de saúde. Quanto será o desconto em folha de pagamento? Além das mensalidades, o associado Casembrapa desembolsa 30% do valor de cada um dos procedimentos realizados, o que chamamos de coparticipação. Esse valor é descontado por evento realizado até o limite mensal de 20% do salário base do associado titular. Caso os 20% não sejam suficientes para arcar com as despesas, a Casembrapa irá descontar mensalmente o valor possível até que a dívida seja quitada. Casos de cirurgias e internações, o associado pagará uma taxa fixa por dia de internação no valor de R$ 165,00, limitado a dez diárias, que resultará no valor máximo de R$ 1.650,00. 
  • Usei o plano de saúde e o gasto foi alto. Terei todo o valor descontado de uma só vez? O valor de coparticipação é descontado até o limite de 20% do salário base do associado titular. Caso os 20% não sejam suficientes para arcar com as despesas, a Casembrapa irá descontar mensalmente o valor possível até que a dívida seja quitada. 
  • Como declaro imposto de renda com relação ao plano de saúde? A Casembrapa produziu uma publicação sobre a Declaração de Imposto de Renda. Para acessá-la, clique aqui,  
  • Como posso verificar se tenho alguma pendência financeira com a Casembrapa? Mensalmente, a Casembrapa encaminha o demonstrativo financeiro ao e-mail do titular do plano. O documento destaca o saldo devedor do beneficiário, aponta as despesas médicas faturadas no mês de referência e revela se existem pendências financeiras que não foram financiadas. Caso não tenha recebido o demonstrativo financeiro, ou tenha alguma dívida em relação aos dados apresentados no documento, sugerimos que entre em contato com o nosso setor de atendimento pelo telefone: (61) 3181 0010 ou email: atendimento@casembrapa.org.br.
  • Qual o prazo para a liberação da autorização de procedimentos médicos hospitalares? De acordo com a ANS, serviços de diagnóstico e terapia em regime ambulatorial têm o prazo máximo de 10 dias úteis para serem autorizados, a contar da data de envio do pedido ao setor de autorização do plano de saúde. Em casos de cirurgias sem material de alto custo, o plano de saúde pode levar até 10 dias úteis para liberar a autorização, a contar da data de entrega do pedido à Casembrapa. Em casos de cirurgias com material de alto custo, o plano de saúde pode levar até 21 dias úteis para liberar a autorização, a contar da data de entrega do pedido à Casembrapa. Apesar de observar os prazos determinados pela ANS, a Casembrapa tem trabalhado para aumentar a satisfação de seus usuários, diminuindo, cada vez mais, o tempo de espera por autorizações de serviços e procedimentos médicos hospitalares. Vale destacar que casos de urgência e emergência não necessitam de autorização.
  • Quais são os procedimentos cobertos pelo plano? A Casembrapa cobre todos os procedimentos e serviços especificados pela ANS no Rol de Procedimento e Eventos em Saúde. Para conferir a lista clique aqui.
  • Quais são os medicamentos pagos pelo plano? De acordo com a ANS, as operadoras de plano de saúde têm a obrigação de custear apenas medicamentos previstos no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde. Para conferir a lista clique aqui.
  • Vacinas são custeadas pela Casembrapa? Não. O Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, que aponta obrigações dos planos de saúde em relação à prestação de serviços, não determina o custeio de vacinas.
  • Qual a diferença entre ressarcimento e reembolso? O ressarcimento é pago quando existiu cobrança indevida por parte da Casembrapa. Já o reembolso é a restituição das despesas médicas e hospitalares custeadas em atendimento fora da rede credenciada, segundo tabela de reembolso da Casembrapa.
  • Em quais casos é possível pedir reembolso do valor gasto com procedimento médico hospitalar? Existem dois casos em que é possível a restituição das despesas médico hospitalares custeadas em atendimento particular: O primeiro é quando o beneficiário recorre a atendimento de profissional não credenciado à Casembrapa por livre escolha. O segundo caso ocorre quando o beneficiário, ao não encontrar atendimento da especialidade que procura na Rede Credenciada Casembrapa, recorre a atendimento particular. Vale destacar que o reembolso só poderá ser feito em se tratando de atendimentos previstos no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS, que aponta obrigações dos planos de saúde em relação à prestação de serviços. Salvo exceções previamente  autorizadas pela Auditoria Médica da Casembrapa após análise técnica sob verificação de pertinência. 
  • Depois de realizado o procedimento, com quantos dias eu posso pedir o reembolso? O beneficiário deve apresentar os recibos e documentos de despesas médicas em até 12 meses, contados a partir da data da realização do procedimento.
  • Quanto receberei de reembolso? A Casembrapa examinará os pedidos de reembolso obedecendo aos parâmetros e valores estabelecidos nas tabelas de preços ajustados com os profissionais da rede credenciada, no local e mês do atendimento, limitado a 70% (setenta por cento) do valor apresentado na respectiva tabela. 
  • Pedi o reembolso. Quando terei o valor creditado em minha conta? A Casembrapa efetua depósitos dessa natureza somente nos dias 10 e 25 de todo mês. No caso de reembolso, é preciso esperar a aprovação do pedido, mediante a entrega dos seguintes documentos: Formulário de requerimento preenchido e assinado; Via original de documento comprobatório do pagamento das despesas ao profissional e/ou instituição não credenciada à Casembrapa (recibos ou notas fiscais); Conta analítica (fatura) médico-hospitalar, discriminada e detalhada; Relatório médico pormenorizado, indicando a patologia, traumas ou complicações havidas, bem como os procedimentos adotados; e Declaração do médico assistente, especificando a razão da urgência e/ou emergência, quando for o caso. O beneficiário tem o período de 12 meses para solicitar o reembolso, contados a partir da data do atendimento. Após a entrega de toda a documentação, a Casembrapa tem 30 dias para realizar o reembolso.
  • Para que serve a Ouvidoria? A Ouvidoria é um canal de atendimento de segunda instância, responsável por acolher as manifestações dos beneficiários, tais como elogios, sugestões, consultas e reclamações. O objetivo é mediar possíveis conflitos que surjam no atendimento ao público, além de contribuir para o aperfeiçoamento dos processos de trabalho da operadora. As atividades da Ouvidoria estão pautadas na Resolução Normativa nº 323 da ANS. Na Casembrapa, a manifestação à Ouvidoria pode ser feita por e-mail, telefone, carta ou pessoalmente.
  • Qual o poder de decisão do médico que consultei pelo plano e porque o pedido é avaliado por um médico auditor? O médico credenciado, quando consultado, também chamado de médico assistente, é a principal referência na solicitação de pedidos de atendimento aos beneficiários Casembrapa. Por outro lado, os médicos auditores da Casembrapa têm como atribuições avaliar os procedimentos prescritos ao paciente, verificar se estão adequados aos respectivos diagnósticos, se há pertinência, e se os valores foram estabelecidos conforme os custos reais, definidos em tabelas oficiais e legalmente reconhecidas. O médico auditor não interfere no trabalho do médico assistente, mas emite relatórios sobre a adequação dos procedimentos e pode pedir a composição de uma junta médica para que o caso seja reavaliado, conforme prescrito em normativa da ANS.